"Enomesmados, unidos em casal, comuns, nós estávamos lá juntos divagando sob o clima frio das baixas temperaturas invernosas da nebulosa cidade..."

Estrela Vespertina

Enomesmados, unidos em casal, comuns, nós estávamos lá juntos divagando sob o clima frio das baixas temperaturas invernosas da nebulosa cidade serrana no começo de uma noite tradicionalmente festiva, em diálogo sobre nossos planos, como habitualmente fazemos, acalentando-nos nos agasalhos de nosso amor setenário. Arquitetávamos e urbanizávamos o município imediatamente do plano superficial na perspectiva da primeira pessoa do plural, essencial e existencialmente, onipotentes. Na estufa da princesa petropolitana, não me recordo agora o que fizemos para preencher o espaço vazio do chão desocupado das passagens entre os gramados à direita da fachada, mas conseguimos logo. Opostamente, no outro lado, à sinistra da fachada do monumento imperial, evoquei subitamente em alusão reflexiva à consciência sábia do cosmos criador em ordem de uma escultura virtuosa perfeita na forma de um monolítico Q cinzento tridimensionalmente esculpido. Lembro bem que, no átimo antecedente à certa e instantânea anunciação cadente, girou para a esquerda antes de se fincar terrestre na terra da Terra, estabelecendo solidamente seus fundamentos no solo de calhau rolado, britado e talhado: estando pedra sobre pedras na cidade pétrea. Contemplada, a corda da letra Q tornada em direção ao seu futuro do pretérito sincronizaria a quarenta e cinco segundos de fuso anti-horário, revolveria do sudeste ao sudoeste, transferiria duzentos e setenta graus em arco a partir do grau zero regulador, cronometraria pontualmente o próprio horário pós-poente das sete e meia luminares do relógio local no sextanário dia de Vênus: transformando inverno em primavera, transitando do frio à umidade. O Q maiúsculo horizontalmente invertido encerrava a passagem ao espaço vago, impedindo o caminho à saída lateral do terreno público, simultaneamente, apontava rumo à esquerda inventando uma nova saída diretamente para as ruas clássicas da cidade virtual da liberdade. Onde se encontra a solução três vezes bem sucedida.

. Estrela Vespertina. Quaestio.org, 2015/06/17. Available at: https://quaestio.org/estrela-vespertina/. Accessed on: 23 Jan 2018.

Leave a Reply

Please, enjoy!